Definir e montar um cardápio adequado para um restaurante parece uma tarefa fácil e que não precisa de muita atenção. Mas na realidade, o menu pode dizer muita coisa sobre o estabelecimento, por isso é extremamente importante saber como desenvolvê-lo.

Lembre-se de que tudo depende da proposta do restaurante, da clientela e do orçamento disponível para tal, mas tenha em mente que o cardápio é o primeiro contato do cliente com o restaurante, então, vale a pena investir pesado e criar um menu que seja a cara do seu estabelecimento.

FORMATO E LAYOUT

A primeira grande sacada ao fazer um cardápio é explorar os formatos possíveis. Se for impresso, há basicamente dois modelos: o aberto, podendo conter uma ou duas páginas, e o fechado, em formato de livro.

Outra opção é investir em um cardápio online. A maior vantagem dessa opção é a facilidade de edição, o que permite que o cardápio seja sempre renovado de forma simples e instantânea.

O cardápio online tem um bom custo-benefício e pode ser personalizado de acordo com a demanda do proprietário quando e como quiser. Além disso, ainda facilita o controle de pedidos do restaurante e agiliza o atendimento, trazendo muito mais satisfação aos seus clientes.

A decisão do formato vai depender do quão variado é seu cardápio e qual a proposta do seu restaurante, bem como o seu público-alvo.

Definido o formato, o é hora de definir o layout do cardápio. Aqui são escolhidas a fonte, ou seja, tipo da letra a ser utilizada, e as cores que integrarão o seu menu.

Tanto no cardápio impresso como no cardápio online, o layout é muito importante: precisa ser limpo, simples e que viabilize uma fácil identificação dos pratos. Além disso, exagerar no tamanho das letras e na quantidade de cores pode tornar seu cardápio pouco atrativo e cansativo aos olhos.

Cuidado ainda com o uso de letras cursivas, pois podem confundir o cliente na hora de ler e dar ao cardápio um aspecto pouco formal, mas muito amador.

É interessante que o design do cardápio seja uma forma de criar uma identidade ao restaurante. Pode ser por meio de cores iguais no ambiente físico e no cardápio, desenhos e figuras ou uma linguagem diferenciada, técnica muito utilizada, especialmente por restaurantes temáticos e hamburguerias, por exemplo.

A criatividade é livre! Basta ser adequada ao tipo de cliente e personalidade do restaurante!

DESTAQUE OS PRATOS ESPECIAIS E PROMOÇÕES

Se o seu estabelecimento faz uso de promoções fixas ou possui pratos conhecidos, abuse do destaque! De forma geral, esses pratos ou promoções podem aparecer em imagens maiores, nos cantos do cardápio, no topo ou no rodapé da página.

A ideia é que esses pratos se sobressaiam no espaço geral do cardápio, informando aos clientes que são os mais procurados.

Outra ideia é montar um cardápio a parte, menor, só com os especiais da casa e as promoções. Pode até mesmo ser um cardápio específico, como um menu kids, por exemplo, pois eles também opinam sobre a comida que a mesa vai comer.

INVISTA EM BOAS FOTOS

O aspecto visual é um dos pontos principais do cardápio. Caso a proposta se adeque e tenha espaço disponível no cardápio, publique as fotos dos pratos. Cliente com fome, com certeza, se sentirá ainda mais disposto a gastar se puder ver como prato é realmente.

Mesmo que não consiga colocar de todos os pratos, selecione os mais apetitosos.

Lembre-se, porém, de fazer fotos com boa resolução para que o cardápio não fique empobrecido visualmente, com imagens pixeladas e que mal é possível definir.

A apresentação do prato também conta na hora de fotografar. Organize todos os elementos que vão compor a foto de maneira limpa e mais simplificada possível. O que importa aqui é o prato em si, mas ele precisa estar bem apresentado para se tornar atrativo.

FAÇA DESCRIÇÃO DOS PRATOS

Aqui está um ponto crucial na montagem de um cardápio! A descrição dos pratos não serve apenas para citar item por item que compõem o prato. Acredite: vai muito além disso!

Quando o cliente chega a um restaurante, pega o cardápio, lê todos os pratos e não faz ideia do que eles são, o que acontece? O cliente chama o garçom e pergunta tudo! Absolutamente tudo!

Isso causa uma demora enorme no atendimento, porque outras mesas estão esperando, e o cliente tende a ficar cada vez mais indeciso sobre o que pedir.

Daí a importância tão latente da descrição dos pratos. Ao abrir o cardápio, o cliente saberá do que cada um é composto e não precisará “alugar” o garçom para perguntar do que se trata. A tomada de decisão será muito mais rápida e a anotação do pedido instantânea.

Mas, ao fazer a descrição, seja sucinto, não é um livro de receitas! Descreva o que compõe o prato, se é cozido, grelhado, frito e se há acompanhamentos.

CUIDADO COM EXCESSOS

O equilíbrio é ordem em qualquer aspecto da vida. Aqui também. Como já citamos, tome muito cuidado com os exageros.

Não queira montar um cardápio com um amontoado de fotos, letras, cores, frases... Se carregar muito, seu cardápio pode acabar surtindo o efeito diferente do que deseja, confundindo a cabeça do cliente e trazendo prejuízo.

O cardápio faz parte da identidade do restaurante e precisa de atenção para ser produzido.

RETOQUES FINAIS

Existem ainda algumas dicas pequenas, mas igualmente importantes:

  • Revise seu cardápio quantas vezes forem necessárias. Erros de ortografia são terminantemente proibidos;
  • Algum prato saiu do cardápio? Atualize-o assim que possível e sempre informe ao cliente que não está mais sendo servido;
  • Alterações de preços pedem cardápio novo. Nada de ficar rabiscando e colocando preço por cima;
  • Separe os pratos de acordo com a categoria. Uma ideia é optar por pratos feitos com carne bovina, carne suína, aves, massas, porções, sobremesas;
  • Coloque as bebidas em uma página específica.

Quer saber mais? Confira outras dicas e matérias no nosso blog, se informe e alavanque seu negócio!